Livro:

É assim que eu vejo

Como eu sinto a minha cidade? Que relação eu tenho com a cidade no dia a dia? Que relação gostaria de ter? O que é real e o que é ficção? Eu realmente olho, vejo, reparo, sinto a cidade que me rodeia ou apenas passo por ela todos os dias?

 

Essa série surgiu da minha reflexão sobre as possíveis respostas para estas questões. Percebi que existe uma relação diária minha com a cidade que não é a relação que eu gostaria de ter. É como se essa realidade fosse uma ficção, uma fantasia que crio diariamente em minha cabeça para assim esconder a realidade. Por outro lado, a relação que eu gostaria de ter com a cidade é uma ficção, um desejo que tenho em meu íntimo, uma representação diária em minha mente de um sonho. E nos raros momentos em que o sonho se torna real, realidade e ficção se misturam.

O suporte original para esta série é um livro Leporelo (sanfona) no tamanho 10x10cm, com duas capas, assim possibilitando as duas leituras diferentes da minha relação com a cidade.

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/4

É assim que eu vejo: Do Alto

Frente 1.jpg
Frente 2.jpg

É assim que eu vejo: Da Rua

Verso 1.jpg
Verso 2.jpg