• Eduardo Beltrame

Por que nos privamos do que queremos?


Eu já contei aqui como troquei a engenharia pela fotografia. E um dos motivos que me levou à essa mudança foi a possibilidade de ter mais tempo livre, de ter mais flexibilidade de horários para poder curtir mais a vida com a família, principalmente nesta fase gostosa enquanto os filhos são pequenos.


Mas então por que eu estava achando ruim ter que alterar a minha rotina de trabalho durante as férias escolares dos meus filhos, para assim ficar com eles durante um período do dia, já que isso era algo que eu queria?


Ainda não tenho a resposta exata para essa pergunta. Só sei que percebi esta incoerência a tempo de resolvê-la. E assim sendo, fiz o possível para resolver tudo que fosse possível durante a manhã para ter as tardes livres durante as férias dos dois, que só durou uma mísera semana. E para nossa alegria, foi uma semana de tempo bom.


Como vocês sabem eu adoro explorar a natureza, lugares inóspitos, desconhecidos, explorar possibilidades acima de tudo. Sempre que é possível eu levo os meus filhos junto comigo nestas pequenas aventuras, o que tem divertido muito eles. Assim, nada melhor do que fazer algo que ao mesmo tempo divirta a todos nós: eu, Marcela e as crianças. E explorar novos lugares tem sido um programa perfeito para fazermos em família.


Nesse dia aí, quando fiz essas fotos, durante as férias deles, eu tinha prometido que faríamos uma pequena aventura exploratória. Para eles, basta acrescentar um pouco de mistério e fantasia para transformar um passeio numa praia que nunca fomos em uma grande aventura.


Era uma tarde linda de inverno, calma, sem vento, com tempo aberto. Um dia bem agradável. Sabendo que ia dar um fim de tarde espetacular, digno de ser apreciado sem pressa, resolvi ir até o Ribeirão da Ilha, que fica no sul de Floripa. Fazia muito tempo que não ia lá. Levei a câmera junto, mas a ideia era curtir o momento com eles.


Enquanto curtia com eles, vi algumas cenas que chamaram a minha atenção e tive que fotografar. Uma luz assim num cenário paradisíaco é irresistível para mim. Para mim, a foto do quadro acima e a foto do barco são as que melhor representam aquele momento: tranquilas, serenas, com uma luz quente que vem como um abraço gostoso com o calorzinho do sol de final de tarde. Qual delas você transformaria num quadro?




1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo